Lisboa: futuro, presente, passado

Abriu ao público a 13 de Julho último (apropriadamente, pois é o dia de Santo António) e encerrará a 18 de Novembro: é a exposição «Futuros de Lisboa», cujo espaço escolhido foi, é, o do Torreão Poente da Praça do Comércio, junto ao rio Tejo, um dos edifícios reais mas também simbólicos, icónicos, do que, em 1755, após o terramoto, viria a ser a Lisboa (ou parte significativa dela) do futuro… que depois se tornou presente e passado.

Lê-se na apresentação: «Como se pensa e se tem pensado o futuro? E o/s futuro/s de Lisboa? Que futuros e mudanças imaginamos para a cidade? Num tempo de profundas alterações como o que hoje vivemos, o Museu de Lisboa promove uma exposição que levanta questões e propõe possibilidades na conjugação de três elementos: Lisboa, Cidade e Futuro. Futuros de Lisboa ocupa, de 13 de (J)ulho a 18 de (N)ovembro de 2018, dois pisos do Torreão Poente da Praça do Comércio, núcleo do Museu de Lisboa. Às perspe(c)tivas dos comissários, João SeixasManuel Graça Dias e Sofia Guedes Vaz, juntam-se as reflexões de diversos ensaístas convidados, e a de todos os cidadãos que contribuíram com as suas ideias.»

Esclareça-se que o João Seixas referido não é o conhecido escritor e divulgador de ficção científica… 😉

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: