«Ao Correr do Som», no Tejo e não só

Estreia amanhã, dia 1 de Abril (e não, não é mentira), um novo programa de rádio, na Antena 2: «Ao Correr do Som», com autoria e apresentação de Marta Araújo e de Marcos Magalhães, que são também os fundadores e os principais animadores d’Os Músicos do Tejo, que tantas vezes já foram referidos aqui neste blog – em especial, e mais recentemente, pelos discos com composições de Francisco António de Almeida que gravaram e publicaram.

Não é só a música do século XVIII que estará em destaque no programa, sendo este caracterizado pela diversidade, de épocas, estilos e abordagens. Tal é anunciado e explicado no texto de apresentação do programa, no sítio da RTP: «A fruição de produtos culturais, sobretudo a música, faz-se, hoje em dia, através de vários canais de comunicação. Desde a rádio às redes sociais, passando pela televisão, a música ambiente e o concerto ao vivo, o fluxo musical é infinito. Toda esta quantidade de informação sonora contribui, sem dúvida, para a dispersão e pode até ser agressiva, no entanto, um aspecto positivo emerge: o acesso, quase enciclopédico, a inúmeras formas musicais originárias de variadas geografias e de múltiplas origens temporais. Esta simultaneidade musical globalizada, que nos permite ouvir uma ópera de Wagner num canal de televisão, um fado de Hermínia Silva no táxi, uma orquestra de gamelão no i-phone e canto multifónico no Facebook, tem já influência na nossa percepção da música e está, certamente, a questionar as várias divisões e categorias que nos permitiram “arrumar” até hoje os vários fenómenos musicais conhecidos. A emissão radiofónica que pretendemos produzir inspira-se, justamente, neste estado de coisas e procura navegar pelos vários tipos de música sem tomar em conta velhas divisões e hierarquias. Vamos em busca de ouvir profundamente o mundo tal como ele se nos apresenta. A nossa abordagem será muito orientada pela vontade de dar uma perspectiva histórica aos fenómenos musicais e, também, muito influenciada pela nossa experiência da música enquanto intérpretes. Mantendo uma forte referência na música erudita, que é também a base da nossa formação, pretendemos estabelecer ligações com outros tipos de música, como sejam a pop, as várias tradições étnicas, a música contemporânea, a música barroca, medieval, improvisada, jazz, electrónica…»

Para já está previsto que «Ao Correr do Som» se prolongue até final de Junho, e três vezes por semana; sábados às 22 horas, segundas-feiras às 13, e quartas-feiras às 5. Boas audições!