Se a Ópera do Tejo não tivesse sido destruída aquando do Terramoto de 1755, muito provavelmente esta obra teria sido estreada no seu palco, e não no do Paço Real de Salvaterra de Magos, em 1765, perante D. José, a sua família e parte significativa da corte, ainda a recuperar do cataclismo ocorrido uma década […]